O turismo é a melhor forma de nos conectarmos com outras culturas, pessoas e sabores. Durante o momento de pandemia, todos pausamos essa conexão. O isolamento social nos tirou a interação, o convívio e as experiências frente a frente. E mais do que isso: nos deixou com uma vontade maior de viver o presente, de descobrir novos lugares, de manter uma nova rotina.

Viajar, uma prática anteriormente comum, se tornou o maior desejo de quem está em casa. Diante da situação mundial, agora locais distantes nos parecem duvidosos e nos fazem sonhar com a segurança de explorar nossa própria região. Para os gaúchos, o simples e famoso hábito de “subir a serra” está, mais do que nunca, nos planos futuros, mesmo que não saibamos o que esse futuro nos trará.

Com a baixa circulação de pessoas, ainda que necessária, não só os turistas perdem momentos marcantes, mas também os destinos. Além do impacto econômico, que afeta todos os nichos, a área do turismo sente o impacto da falta de troca e de construção de momentos em conjunto.

Por aqui, desde 20 de março as Vinícolas dos Altos Montes, localizadas em Flores da Cunha e Nova Pádua, interromperam o atendimento ao público, fechando temporariamente suas portas para as visitações. Enquanto aguardamos ansiosos pela retomada, aproveitamos o período para planejarmos os próximos resultados positivos, organizando a casa com novidades na estrutura, nas experiências e, é claro, nos rótulos.

Em casa, os momentos de isolamento podem ser desgastantes e conturbados, mas é possível torna-los menos difíceis se acompanhados de um bom vinho. Durante o período afastado dos passeios e degustações, transformar o confinamento em momentos agradáveis, principalmente com a família, é a recomendação ideal. Ligar para um amigo, se aventurar na cozinha, ler um bom livro e abrir seu rótulo preferido em qualquer um dos casos, desde que com moderação, são pequenas ações que podem ajudar você e também a produção vitivinícola gaúcha.

Enfrentar o Covid-19 é questão delicada e importante e o futuro ainda parece nebuloso, mas uma coisa é certa: brindaremos juntos no final.


Filipe Panizzon
Presidente da Associação de Produtores de Vinhos dos Altos Montes