Altitude e qualidade do solo são responsáveis por proteger as plantações de Flores da Cunha e Nova Pádua

A grande seca que preocupa a agricultura de todo o Estado e que está matando parreiras no Vale dos Vinhedos, não prejudica a safra da região dos Altos Montes, em Flores da Cunha e Nova Pádua, assim como pode até melhorar a qualidade do vinho.

De acordo com Filipe Panizzon, sócio da Vinícola Panizzon e integrante da Associação dos Vinhos dos Altos Montes, a região não sofre tanto impacto devido à sua localização e qualidade do solo. “A seca não tem grande significado para nós, devido à altitude, somos a região mais alta da Serra com plantação de uvas, e também porque nossos vinhedos são plantados em áreas com bastante composto orgânico, o que faz o solo segurar mais a umidade”, explica.
A alta tecnologia utilizada por algumas vinícolas associadas a Altos Montes também garante uma safra segura. “Aliado a isso, temos vinícolas, como a Vinhos Boscato, que conta com um sistema de irrigação por gotejamento nos vinhedos e uma estação meteorológica totalmente informatizada, o que faz minimizar as perdas de parreiras”, complementa Panizzon.

Além de não prejudicar a plantação, a seca pode, ainda, melhorar a qualidade do vinho fino a ser produzido. “Esses anos de seca acabam gerando uma ótima safra de uva fina, pois a videira em estresse (falta de água) trabalha pra proteger o fruto, ou seja, concentra todos os compostos bons para a qualidade da uva, como açúcar, antocianinas, taninos... Por isso, em anos que ocorrem esse grande estresse hídrico, favorece a maturação da uva e, consequentemente, entrega vinhos de alta qualidade”, explica o enólogo Paulo Ricardo Venturini, da Casa Venturini, também associada a Altos Montes.

De acordo com Panizzon, esta seca pode ser comparada a de 2004/2005, período responsável por entregar excelentes vinhos finos na região, inclusive premiados. Em 2006 a Vinícola Panizzon venceu concurso Moscatus du Monde (França), com seu Panizzon Moscatel. Já, a vinícola associada Fabian ganhou por dois anos consecutivos a Grande Prova de Vinhos do Brasil com o seu Cabernet Sauvignon safra 2005. Assim como, o Merlot Safra 2005 da Luiz Argenta foi reconhecido o melhor do Brasil em 2009.

Vinhos dos Altos Montes - Localizada na Serra Gaúcha, entre os municípios de Flores da Cunha e Nova Pádua, a região possui o registro de Indicação de Procedência (IP) dos Altos Montes e é responsável por rótulos premiados em todo o mundo. As características geográficas de altitude - até 800 metros acima do mar - combinada com o solo rochoso e úmido, entregam vinhos finos exclusivos e uma grande variedade de sabores. Desde 2002, a rede vitivinicultora e o enoturismo local são fortalecidos pela Associação de Produtores dos Vinhos dos Altos Montes (Apromontes), composta por dez vinícolas: Boscato Vinhos Finos, Casa Venturini, Vinhos Fabian, Fante Indústria de Bebidas, Vinícola Luiz Argenta, Vinícola Mioranza, Vinícola Panizzon, Terrasul Vinhos Finos, Valdemiz Vinhos Finos e Vinhos Viapiana. Mais informações podem ser obtidas em www.vinhosdosaltosmontes.com.br.